segunda-feira, 29 de junho de 2015

ABC centenário; relato do pesquisador Marcos Trindade


Fundado em 1915, o ABC nasce grande. Logo no ano seguinte realiza o seu primeiro jogo interestadual. Enfrenta o Santa Cruz de Recife em Natal. Perde de 4 a 1. Na década de 20, faz excursão pelos estados da Paraíba, Pernambuco e Ceará, obtém bons resultados nas partidas realizadas.

Nos meados de 30, o Alvinegro chega a ser considerado um dos melhores esquadrões futebolísticos do Nordeste, graças aos grandes jogos contra os times de Recife, João Pessoa e Fortaleza. Era um time temido na região.

Na década de 40 se consagra deca-campeão estadual. Com valorosos atletas entre eles Xixico, o verdadeiro inventor da jogada denominada de “bicicleta”, Albano e Jorginho. Ainda nessa década desponta grandes nomes do futebol como Dequinha que jogou no Flamengo, Demosténses indo para o Botafogo do Rio, Geraldo que depois se destacou no Madureira também do Rio.

Nos anos 50, mais glórias sob o comando de Vicente Farahe Neto, um dos maiores contribuintes para a história alvinegra. Campeão de todas as categorias de 1954, supercampeão de 1959 numa das mais brilhantes campanhas já realizadas.

Na década seguinte conquista vários títulos e surge a estrela Alberi, que vem a se tornar um dos maiores nomes da história abecedista.

Chega os anos 70 e o ABC forma um grande time para a participação no campeonato nacional. Com Alberi, Danilo Menezes, Édson, Soares, Maranhão, entre outros.

Nos anos 80, o Alvinegro conquista apenas dois títulos estaduais. Talvez tenha sido a pior década do clube. Período que participa pela última vez da Série A do Brasileirão. Em 1985.

Na década de 90, arrasta o tricampeonato em 1995 e o tetra conquistado em 2000. Reaparecem grandes nomes no Alvinegro. Ivan vindo das bases, Sérgio Alves, Róbson e o presidente Judas Tadeu, um revolucionário no clube.

Nos anos seguinte o clube passa por maus momentos mas dá a volta por cima conquistando o título de 2005 com grandes atuações de Barata e Sérgio Alves. No ano seguinte, ergue para a frasqueira o estádio Frasqueirão sob muita luta do presidente Judas Tadeu, o principal idealizador do monumento.

Conquista o estadual de 2007 e ver surgir seu último grande ídolo, Wallyson. Na Série C, conquista o acesso para a Série B.

E continua a escrever sua página histórica conquistando o título de campeão brasileiro da Série C de 2010 e levando grandes públicos ao estádio Maria Lamas.

Por último, em um de seus grandes registros faz a melhor campanha de um time do Rio Grande do Norte na Copa do Brasil, em 2014, foi 5º colocado e por pouco não elimina o Cruzeiro de Minas Gerais, bicampeão brasileiro. O ABC é 100 e merece nossos parabéns!

Marcos Trindade, pesquisador de futebol no Rio Grande do Norte.

Um comentário:

  1. Parabéns pelo excelente trabalho Marcos Trindade.

    ResponderExcluir