quarta-feira, 29 de junho de 2011

O Fim de uma Carreira no Diário de Natal


Na Rádio Clube AM em 2008


Hoje é mais um dia que fica pra mim na história. Neste dia foi oficializado o meu desligamento do Grupo Associados de Comunicação no Rio Grande do Norte. Do Portal Dnonline, onde assinava um blog denominado de Blog do Trindade desde 2008 e também no Diário de Natal, onde era colaborador desde 2003.

Durante 12 anos nos Associados, cheguei à Rádio Poti em maio de 1999, ainda menino, estive lado a lado nestes meios de comunicação que são os Diários Associados aqui do RN.

Primeiro na Rádio Poti, depois de tanto conversar com o Jornalista Edmo Sinedino, passei a colaborar para a Coluna dele e posteriormente para o Jornal. E, em maio de 2008, com o Blog no Portal www.dnonline.com.br editado por Marline Negreiros.

Guardo sempre os bons momentos vividos tanto na Rádio, no Jornal e no Portal. Dos amigos, do aprendizado principalmente, da busca pela informação, entre outros. Infelizmente, agora é o fim da minha era nos Associados.

Lembro que em julho de 1997, quando comecei a trabalhar em Rádio, na Rádio Rural de Natal levado por Getúlio Medeiros, que eu considero como o maior comunicador esportivo do estado em que nasci, não imaginava que um dia ia me deparar com tanto mau caráter. E esse dia não demorou a chegar. Mas, seria assim, se eu fosse Professor como sonhava, Advogado como imaginava, Caminhoneiro como admirava ou jogador de Futebol como me sentia limitado.

Então, gostaria de agradecer muito a todos do Diário de Natal, Jornal que eu aprendi a amar quando tinha 10 anos de idade, ainda na cidade de Angicos, terra natal dos meus pais. Ler o Diário de Natal era tudo, imagine ter trabalhado/colaborado para ele. Foi o máximo.

Agradecer a Jornalista Marline Negreiros, Por ser uma Jornalista correta, honesta e batalhadora, que confiou no meu talento. Que eu não acho que tenha tanto assim. Peço desculpa pelas incompreensões causadas por mim.

Ao também Jornalista e Editor de Esportes do Diário de Natal, Fábio Pacheco, um dos poucos radicados aqui que merece meu aplauso. Ele é gaúcho.

Sobre o meu futuro. Não pretendo seguir essa vida de Radialista/Jornalista, ao menos que surja algo bem significante, o que não acho, pelo meu comportamento crítico e pela decadência que vive os meios de comunicação em Natal. Ainda atualizo este Blog, mas não sei qual atitude vou tomar nos próximos dias. Se continuo atualizando ou não. Talvez, sim, passa a ser um lazer das horas vagas.

Porém, hoje, vivemos num mundo avançado tecnologicamente. Nós podemos inclusive trabalhar para grandes publicações do Brasil e do mundo sem ter que deixar nossa residência. É outro caso a pensar.

Quero também dizer que fico à disposição do Diário de Natal, Dnonline e Outros para quaisquer colaborações esporádicas. Sempre que surgir alguma dúvida e achar que eu possa ajudar, podem ter certeza, estarei à disposição para tal.

Era isso. Marcos Avelino da Trindade.

terça-feira, 28 de junho de 2011

O ABC é freguês dos pernambucanos I

Leandrão é a principal arma do ABC, hoje. Foto: Site do ABC


O Alvinegro potiguar derrotou no último sábado, o Náutico por 1 a 0. O clube natalense é freguês do Timbu nos confrontos em jogo oficiais, mas venceu.

Hoje, o adversário, é o “bicho-papão” Sport Recife, campeão brasileiro e tudo. Além de enfrentar essa “fera”, o ABC tem pela frente o retrospecto negativo.

Em 16 jogos de competições, o Mais Querido só venceu duas partidas. Uma em 1998 pela Copa do Nordeste por 2 a 1, no Machadão.

E a outra em 2002, no Estádio Ilha do Retiro, também por 2 a 1. Dos oito jogos realizados em Recife, o Sport venceu sete. Confira os resultados das partidas em Recife:

13/11/1968 – Sport 2x1 ABC (Nordestão)
25/10/1969 – Sport 2x1 ABC (Nordestão)
29/08/1976 – Sport 1x0 ABC (Série A)
23/02/1980 – Sport 1x0 ABC (Série B)
13/02/1985 – Sport 3x0 ABC (Série A)
19/02/1997 – Sport 4x0 ABC (Copa do Nordeste)
26/02/1998 – Sport 4x1 ABC (Copa do Nordeste)
07/04/2002 – Sport 1x2 ABC (Copa do Nordeste)

Resumo de jogos Natal/Recife

Total de jogos: 16
Vitórias do ABC: 02
Vitórias do Sport 10
Empates: 04
Gols do ABC: 13
Gols do Sport: 29
Saldo pro ABC: -16

Principais artilheiros do ABC

02 gols: Silvio Madonna
02 gols: Fábio Silva

Principais artilheiros do Sport

02 gols: Fernando Lima
02 gols: Eusébio
02 gols: Valdomiro
02 gols: Leonardo

Público em Recife

Total de pagantes: 46.748
Jogos como base: 07
Média por jogo: 6.678

Nota: Não está computado o público do jogo de 2002.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

O ABC já venceu o Sport no Ilha do Retiro

Fábio Silva detonou o Leão em Recife


O adversário de amanhã do ABC é um velho conhecido e temido clube de futebol do Nordeste brasileiro. Entre tantos jogos já realizados entre ambos nas competições nacionais, o clube natalense já venceu esse “bicho-papão” no seu estádio.

Isso aconteceu em 2002 pela Copa do Nordeste. Sport 1x2 ABC, dia 07 de abril. O atacante Fábio Silva fez os dois gols do Alvinegro. Exmar Tavares era o técnico do Mais Querido.

O ABC venceu com: Carlão; Ivan Gedeon, Leandro e Marcelo; Sandro, Guará, Moreno e Sabino; Fábio Silva (Airton) e Fábio Lopes (Renato). Técnico: Exmar Tavares.

sábado, 25 de junho de 2011

ABC x Náutico; vantagem dos pernambucanos


Hoje, o ABC enfrenta seu primeiro grande desafio na Série B. Será o teste para se ter uma idéia de até aonde o Mais Querido vai.

Na história dos confrontos em competições organizadas pela CBF, o Alvinegro Potiguar só venceu o Náutico duas vezes. Uma pela Copa do Brasil de 2001, no Machadão e a outra no ano passado pelo Campeonato do Nordeste, no Frasqueirão.

Ao todo foram 13 jogos, 07 em Natal e 06 em Recife. Pela Série A foram 04, Série B também 04, Campeonato do Nordeste 03 e Copa do Brasil 02. O Náutico venceu 07 partidas e o ABC duas.

Em Natal, o Timbu venceu duas vezes. Uma em 1972 por 4 a 3 e a outra em 2002 por 1 a 0. Prá cima deles hoje, ABC! Confira todos os confrontos com detalhes:

16/11/1972 – ABC 3x4 Náutico (Série A)
Gols: Alberi (2) e Libânio para o ABC; Borges (3) e Tico para o Náutico
Árbitro: Bráulio Zanoto (PR)
Renda: Cr$ 43.508,00
Público: 11.728
Local: Estádio Castelão (Natal-RN)

12/09/1976 – ABC 1x1 Náutico (Série A)
Gols: Zé Carlos Olímpico para o ABC; Gilvan para o Náutico
Árbitro: Romualdo Arppi Filho (SP)
Renda: Cr$ 104.685,00
Público: 7.805
Local: Estádio Castelão (Natal-RN)

10/10/1976 – Náutico 2x1 ABC (Série A)
Gols: Dedeu e Marquinhos para o Náutico; Beliato (contra) para o ABC
Árbitro: Luiz Vieira Vila Nova (CE)
Renda: Cr$ 72.136,00
Público: 4.527
Local: Estádio Arruda (Recife-PE)

04/05/1978 – Náutico 4x2 ABC (Série A)
Gols: Campos (2), Parranga e Didi Duarte para o Náutico; Noé Silva e Noé Soares para o ABC
Árbitro: Artur Brás (PI)
Renda: Cr$ 110.938,00
Público: 4.117
Local: Estádio Arruda (Recife-PE)

11/01/1981 – ABC 2x2 Náutico (Série B)
Gols: Berg e Jonas para o ABC; Marquinhos e Evaristo para o Náutico
Árbitro: José Araújo Oliveira Filho (PB)
Renda: Cr$ 417.880,00
Público: 6.883
Local: Estádio Castelão (Natal-RN)

20/09/2000 – Náutico 2x0 ABC (Série B)
Gols: Moisés e Alex Olinda
Árbitro: Marco Antônio Collares Brasil (CE)
Renda: não disponível
Público: não disponível
Local: Estádio Aflitos (Recife-PE)

08/02/2001 – Náutico 3x2 ABC (C. do Nordeste)
Gols: Marcelo Passos (2) e Kuki para o Náutico; Marcelo França e ? para o ABC
Árbitro: Marco Antônio Collares Brasil (CE)
Renda: R$ não divulgada
Público: 8.569
Local: Estádio Aflitos (Recife-PE)

04/04/2001 – Náutico 2x2 ABC (Copa do Brasil)
Gols: Alberto e Adilson para o Náutico; Cléber Carioca e Carlos Zara para o ABC
Árbitro: Jorge Fernando Rabelo (RJ)
Renda: R$ não disponível
Público: 5.228
Local: Estádio Aflitos (Recife-PE)

11/04/2001 – ABC 2x0 Náutico (Copa do Brasil)
Gols: Sérgio Alves e Ivan
Árbitro: Jamir Carlos Garcez (DF)
Renda: R$ 29.387,00
Público: 3.424
Local: Estádio Machadão (Natal-RN)

18/08/2001 – Náutico 4x0 ABC (Série B)
Gols: Gil (2), Kuki e Vaquinho
Árbitro: Jorge Luiz da Silva (AL)
Renda: não disponível
Público: não disponível
Local: Estádio Aflitos (Recife-PE)

10/10/2001 – ABC 1x1 Náutico (Série B)
Gols: Valdney para o ABC; Tupã para o Náutico
Árbitro: Manoel Mariano Vilarim Neto (PB)
Renda: R$ não disponível
Público: não disponível
Local: Estádio Machadão (Natal-RN)

03/02/2002 – ABC 0x1 Náutico (C. do Nordeste)
Gols: Fumaça
Árbitro: Jorge Luiz da Silva (AL)
Renda: R$ 39.003,50
Público: 5.055
Local: Estádio

23/06/2010 – ABC 4x1 Náutico (C. do Nordeste)
Gols: Érick (contra), João Paulo, Édson e Zulu para o ABC; Wallace para o Náutico
Árbitro: Clizaldo Luiz Maroja (PB)
Renda: R$ 30. 510,00
Público pagante: 2.165
Local: Estádio Frasqueirão (Natal)

Resumo
Total de jogos: 13
Vitórias do ABC: 02
Vitórias do Náutico: 07
Empates: 04
Gols do ABC: 20
Gols do Náutico: 27
Saldo pro ABC: -07

Artilheiros do ABC
02 gols: Alberi
01 gol: Beliato (contra)
01 gol: Berg
01 gol: Carlos Zara
01 gol: Cléber Carioca
01 gol: Édson
01 gol: Érick (contra)
01 gol: Ivan
01 gol: João Paulo
01 gol: Joãozinho
01 gol: Jonas
01 gol: Libânio
01 gol: Marcelo França
01 gol: Noé Silva
01 gol: Noé Soares
01 gol: Sérgio Alves
01 gol: Valdney
01 gol: Zé Carlos Olímpico
01 gol: Zulu

Artilheiros do Náutico
03 gols: Borges
02 gols: Campos
02 gols: Gil
02 gols: Kuki
02 gols: Marcelo Passos
01 gol: Adilson
01 gol: Alberto
01 gol: Alex Olinda
01 gol: Dedeu
01 gol: Didi Duarte
01 gol: Evaristo
01 gol: Fumaça
01 gol: Gilvan
01 gol: Marquinhos
01 gol: Marquinhos
01 gol: Moisés
01 gol: Parranga
01 gol: Tico
01 gol: Tupã
01 gol: Vaguinho
01 gol: Wallace

Público em Natal
Total: 37.060
Jogos: 06
Média: 6.177

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Os números do ABC na Série B; 06 rodadas

Basílio jogou as 06 partidas. Foto: Site do ABC


Depois de realizar seis partidas, apresentamos os principais números da campanha do ABC na Série B deste ano. O mais querido tem 55% de aproveitamento na competição. Se mantiver este aproveitamento até o final do campeonato, o acesso à Série A está garantido com 63 pontos. O Alvinegro tem bons números, apesar dos empates, a média de pontos é muito boa. Confira os números:

Sobre jogos e vitórias

Pontos ganhos: 10
Jogos: 06
Vitórias: 02
Empates: 04
Derrotas: 00
Aproveitamento: 55,55%
Gols pró: 10
Gols contra: 07
Saldo: 03

Tipo dos gols que marcou

De dentro da área: 09
De fora da área: 01
De pênalti: 02
De cabeça: 03
De pé: 07

Tipo dos gols que levou

De dentro da área: 07
De fora da área: 00
De pênalti: 00
De cabeça: 01
De pé: 06

Artilheiros

06 gols: Elinar Bombinha
02 gols: Cascata
01 gol: Nêgo
01 gol: Leandrão

Sobre renda e público

Total de renda bruta: R$ 112.751,00
Jogos como mandante: 02
Média por jogo: R$ 56.375,00

Total de renda líquida: R$ 56.886,27
Jogos como mandante: 02
Média por jogo: R$ 28.443,13

Total de público: 10.035
Jogos como mandante: 02
Média por jogo: 5.017

Os jogadores que atuaram

06 jogos: Welligton
06 jogos: Renatinho Potiguar
06 jogos: Marcus Vinícius
06 jogos: Malaquias
06 jogos: Elionar Bombinha
06 jogos: Cascata
06 jogos: Basílio
06 jogos: Alessandro Lopes
05 jogos: Tiago Garça
05 jogos: Pio
05 jogos: Bileu
04 jogos: Diego Barboza
03 jogos: Rafael Martins
03 jogos: Nêgo
03 jogos: Makelelê
02 jogos: Ricardo Oliveira
02 jogos: Leandrão
02 jogos: Chimba
01 jogo: Leonardo

Total de jogadores: 19

Disciplina

Cartões amarelos

03 cartões: Tiago Garça
03 cartões: Pio
02 cartões: Renatinho Potiguar
02 cartões: Bileu
02 cartões: Basílio
02 cartões: Alessandro Lopes
01 cartão: Welligton
01 cartão: Ricardo Oliveira
01 cartão: Rafael Martins
01 cartão: Malaquias
01 cartão: Makelelê
01 cartão: Leonardo
01 cartão: Diego Barboza
01 cartão: Cascata

Resumo

Total de cartões: 22
Jogos disputados: 06
Média por jogo: 3,67

Nota: Apenas Pio ficou suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Cartões vermelhos

01 cartão: Tiago Garça

Resumo

Total de cartões: 01
Jogos disputados: 06
Média por jogo: 0,17

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Diretor que acabou com rádio é demitido

Nilson Pinheiro aprontou demais no Rádio Potiguar


Na tarde de ontem, os Diários Associados do Rio Grande do Norte demitiu o diretor das rádios Clube de Natal, Nilson Pinheiro. Ele estava nas emissoras associadas desde 2007.

Quando chegou a Natal, radicalmente acabou com toda a programação da antiga Rádio Poti, inclusive a Equipe de Esportes que crescia a cada dia na audiência, estando muito perto da liderança. Depois da chegada dele, a Rádio Poti passou a se chamar Clube.

As rádios já tem novo diretor. Núbia Leão veio de Brasília para assumir a direção. Tem boas referências.

Já Nilson Pinheiro, deve voltar para o seu ninho, em Brasília. Pois aqui ele não tem mercado por ser um radialista fraco e de comportamento desagregador. A era Nilson Pinheiro acabou-se.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Os falsos números da CBF na Série B

Todo ano é assim, os números divulgados pela Imprensa não batem com os dos documentos oficiais. E se não bastasse, este ano, o site da CBF traz números diferentes dos próprios borderôs que o ele publica.

Pode acessar o site da CBF e comprovar. Nas informações preliminares que aparecem em cada jogo realizado da Série B não são iguais com as que estão nos borderôs.

Exemplo: no jogo Americana 1x0 São Caetano, da sexta rodada, nas informações iniciais diz que o público foi de 595, no borderô “documento oficial” a soma dos ingressos vendidos chega a 895.

Muitas rendas e públicos desencontrados. E o que é pior, alguns documentos, principalmente dos jogos realizados em São Paulo, são quase ilegíveis.

terça-feira, 21 de junho de 2011

A Rádio FM 95 monta equipe de Esportes

Getúlio Medeiros, o mais atualizado Plantão Esportivo


Hoje, ficou decidido que a Rádio 95 FM de Natal volta aos gramados. A nova fase esportiva da Rádio que tem com diretor geral, o Jornalista Miguel Weber, será composta por conhecido e gabaritados radialistas de Natal.

A programação esportiva da 95 FM terá duas resenhas diárias, de segunda-feira à sexta-feira. Uma pela manhã, das 6h30min às 7h e a outra à noite, das 20h às 20h30min. E também as transmissões dos jogos dos clubes de Natal. A estréia está marcada para o próximo sábado no Frasqueirão, por ocasião do jogo ABC x Náutico.

Entre os principais nomes da nova equipe, aparece o de Getúlio Medeiros, o melhor Plantão de Esportes da história do Rádio Potiguar. Outro nome de peso é o do assuense Exmar Tavares, o melhor comentarista dessas bandas do Brasil e ainda o do excelente narrador Lourimar Neto, não pelos restaurantes, mas pela desenvoltura em narrar futebol. Conheça a equipe completa:

Narradores

José Carlos Oliveira
Lourimar Neto
José Ivo

Comentaristas

Exmar Tavares
Paulo Nogueira

Repórteres

Jáckson Capixaba
Marco Antônio Olímpico

Plantão Esportivo

Getúlio Medeiros

Técnico de som

Genildo Costa

Nota: Quando trabalhei no rádio esportivo, estive ao lado de todos, menos de Lourimar Neto.

Principais Números da Série B; 06 rodadas

Bombinha está bem no DVD. Foto: Site do ABC


Depois da sexta rodada da Série B, apresentamos um pequeno resumo dos números da competição. O destaque negativo continua sendo o fiasco de público dos times de São Paulo. Ocupam as últimas posições. Nesse mesmo quesito, o ABC com apenas dois jogos em casa figura em 10º lugar em público e em 9º em arrecadação. Além, claro, de ter o vice-artilheiro da competição. Elionar Bombinha marcou 06 gols. Confira os principais números da Série B:

Resumo de jogos e gols

Total de jogos: 60
Total de gols: 143
Média por jogo: 2,38

Vitórias dos mandantes: 29
Vitórias dos visitantes: 11
Empates: 20

Principais artilheiros

07 gols: Ricardo de Jesus (Ponte Preta)
06 gols: Elionar Bombinha (ABC)
04 gols: Somália (Duque de Caxias)

Sobre renda e público

Total de renda: R$ 2.691.106,00
Jogos computados: 60
Média por jogo: R$ 44.852,00

Clubes que mais arrecadaram

Sport – R$ 535.080,00
Vitória – R$ 325.175,00
Criciúma – R$ 232.850,00
Salgueiro – R$ 231.879,00
Náutico – R$ 177.120,00

Clubes que menos arrecadaram

Ituiutaba – R$ 40.420,00
Duque de Caxias – R$ 19.140,00
Americana – R$ 14.990,00
Bragantino – R$ 12.425,00
São Caetano – R$ 4.515,00

Maiores rendas

R$ 203.930,00 – Sport 1x0 Icasa
R$ 177.285,00 – Sport 1x0 Barueri
R$ 153.865,00 – Sport 1x1 Duque de Caxias
R$ 108.780,00 – Vitória 2x0 Sport
R$ 104.110,00 – Paraná 1x1 Portuguesa
R$ 80.722,50 – Vitória 0x1 Guarani
R$ 75.140,00 – Salgueiro 0x2 Náutico
R$ 71.350,50 – ABC 1x1 Salgueiro
R$ 70.432,50 – Vitória 1x1 ABC
R$ 69.187,00 – Vila Nova 2x0 Criciúma

Menores rendas

R$ 840,00 – Americana 1x1 Duque de Caxias
R$ 1.980,00 – São Caetano 1x1 Ponte Preta
R$ 2.535,00 – São Caetano 0x2 Ituiutaba
R$ 2.935,00 – Bragantino 1x0 Vila Nova
R$ 4.520,00 – Bragantino 1x2 São Caetano
R$ 4.970,00 – Bragantino 1x1 ABC
R$ 5.089,00 – Portuguesa 4x0 Náutico
R$ 5.490,00 – Duque de Caxias 0x2 Ponte Preta
R$ 5.650,00 – Duque de Caxias 2x3 Vitória
R$ 5.820,00 – Americana 1x0 São Caetano

Total de público: 315.002
Jogos computados: 60
Média por jogo: 5.250

Clubes com mais público

Sport – 49.811 pagantes
Goiás – 41.693 pagantes
Barueri – 39.282 pagantes
Vitória – 31.287 pagantes
Salgueiro – 28.555 pagantes

Clubes com menos público

Icasa – 6.128 pagantes
Americana – 2.025 pagantes
Duque de Caxias – 1.886 pagantes
Bragantino – 1.574 pagantes
São Caetano – 684 pagantes

Maiores públicos

21.754 pagantes – Goiás 0x3 Paraná
18.583 pagantes – Sport 1x0 Icasa
18.287 pagantes – Goiás 4x1 ASA
17.063 pagantes – Sport 1x0 Barueri
14.165 pagantes – Sport 1x1 Duque de Caxias
13.425 pagantes – Barueri 1x1 Portuguesa
13.105 pagantes – Barueri 3x2 Bragantino
12.752 pagantes – Barueri 1x0 ASA
9.310 pagantes – Vitória 2x0 Sport
8.707 pagantes – Salgueiro 0x2 Náutico

Menores públicos

54 pagantes – Americana 1x1 Duque de Caxias
314 pagantes – São Caetano 1x1 Ponte Preta
370 pagantes – São Caetano 0x2 Ituiutaba
390 pagantes – Bragantino 1x0 Vila Nova
469 pagantes – Duque de Caxias 2x3 Vitória
517 pagantes – Duque de Caxias 0x2 Ponte Preta
559 pagantes – Bragantino 1x1 ABC
625 pagantes – Bragantino 1x2 São Caetano
895 pagantes – Américana 1x0 São Caetano
900 pagantes – Duque de Caxias 1x2 Criciúma

domingo, 19 de junho de 2011

As Coisas da Imprensa e o Futebol Potiguar


Meu amigo, eu não agüento mais ouvir e ler as “coisas” do Futebol.

Rapaz, moça, se eu pudesse eu tirava essa palavrinha chamada coisa do dicionário. Os caras abusam de falar e dizer as coisas do Futebol.

E soltam. Vem aí Bartolomeu com as coisas do ABC, América, Alecrim, Federação...

Tudo é coisa. Sinceramente, eu acho isso uma falta de criatividade. Essa Imprensa de Natal é osso.

E pior que essa história de coisa vem de longe. Na década de 1990, um papangu se notabilizou por ter criado a “genial” frase. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Achou pouco, aí soltou mais essa: E duas coisas são duas coisas. Que coisa nojenta. Tudo é coisa mesmo!

Quer saber uma coisa? Deixe e te dizer uma coisa! Mi diga uma coisa? Troque isso, amigo.

Fale assim: Quer saber de uma história? Quer saber de algo? Deixe eu te falar sobre... Mi fale algo? O nosso idioma é rico de palavras bonitas.

Imagine, um cara falar baixinho no ouvido do lado direito de uma moça.

Deixe eu te “dizer” uma coisa. Eu quero te namorar...

Até namorar é coisa?

Por que não falar assim: eu quero falar algo importante para nós dois...

E ainda tem mais, o “comentarista” fala. O Futebol tem essas coisas.

E a coisa está em todo lugar!

E tá mesmo, saindo do campo Futebol e entrando no campo da música, a “coisa” é a mesma.

Um cantor, eu até gosto, certa vez gravou uma música com algo parecido com coisa cristalina. Sinceramente isso é droga.

O “mais famoso” também gosto. Gravou uma que diz que mulher é coisa.

Como é que pode? Aliás, 80% das músicas dele, ele fala coisa.

Que Careta! Plágio total.

Loucuras de Amor que o diga. Alô Sebastião Braga!

Em 2003, um jogador de futebol, nascido aqui no Rio Grande do Norte, craque de bola mesmo, foi jogar na Rússia.

A tradução do nome dele parecia com “coisa” também.

Ave Maria! E ele, lógico não gostava.

Nota: Gente, a palavra coisa existe e é tudo que falam e dizem. Só que eu não gosto de usá-la.

Quando jogou na Rússia Souza era chamado assim

sábado, 18 de junho de 2011

Vila x ABC: Confronto de hoje está empatado


Os confrontos entre ABC x Vila Nova vem desde 1999. O tradicional clube de Goiás venceu o primeiro duelo por 2 a 0. Já no ano seguinte, o Alvinegro o derrotou no palco do jogo de hoje, 1 a 0, gol do lateral Moisés. Depois, voltaram a se enfrentar somente na Série C de 2007. Nos anos seguintes, 2008 e 2009 os confrontos foram pela Série B. Esta será a sexta vez que o Vila Nova recebe o ABC. Confira Os confrontos com pequenos detalhes:

19/09/1999 – Vila Nova 2x0 ABC (Série B)

Gols: Reinaldo Aleluia e Wladimir
Árbitro: Álvaro Azeredo Quellas (RJ)
Renda: R$ 37.559,00
Público: 8.223
Local: Estádio Serra Dourada (Goiânia-GO)

07/10/2000 – Vila Nova 0x1 ABC (Série B)

Gol: Moisés (41/2º)
Árbitro: Etevaldo Batista de Araújo (DF)
Renda: não divulgada
Público: não divulgado
Local: Estádio Serra Dourada (Goiânia-GO)

27/11/2007 – ABC 4x0 Vila Nova (Série C)

Gols: Wallyson (2), Ânderson (contra) e Clênio
Árbitro: Wagner dos Santos Rosa (RJ)
Renda: R$ 143.241,00
Público: 11.315
Local: Estádio Frasqueirão (Natal-RN)

10/11/2007 – Vila Nova 3x0 ABC (Série C)

Gols: Túlio Maravilha (2) e Paulo Ramos
Árbitro: Héber Roberto Lopes (PR)
Renda: R$ 131.035,00
Público: 15.699
Local: Estádio Serra Dourada (Goiânia-GO)

10/05/2008 - ABC 3x2 Vila Nova (Série B)

Gols: Márcio Hahn, Dejair e Ivan para o ABC; Túlio Maravilha e Reinaldo para o Vila Nova
Árbitro: Cláudio Luciano Mercante Pessoa Júnior (PE)
Renda: R$ 114.330,00
Público: 7.455
Local: Estádio Frasqueirão (Natal-RN)

22/08/2008 – Vila Nova 3x1 ABC (Série B)

Gols: Túlio Maravilha (2) e Reinaldo para o Vila Nova; Warley para o ABC
Árbitro: Antônio Frederico de Carvalho Schneider (RJ)
Renda: R$ 60.415,00
Público: 5.317
Local: Estádio Serra Dourada (Goiânia-GO)

13/06/2009 – ABC 1x0 Vila Nova (Série B)

Gols: Fábio Saci
Árbitro: Francisco de Assis Almeida Filho (CE)
Renda: R$ 47.050,00
Público: 3.249
Local: Estádio Frasqueirão (Natal-RN)

19/09/2009 – Vila Nova 1x0 ABC (Série B)

Gols: William
Árbitro: Mariélson Alves da Silva (BA)
Renda: R$ 24.420,00
Público: 1.813
Local: Estádio Serra Dourada (Goiânia-GO)

Resumo de jogos

Total de jogos: 08
Vitórias do ABC: 04
Vitórias do Vila Nova: 04
Empates: 00
Gols do ABC: 10
Gols do Vila Nova: 11
Saldo pro ABC: -01

Artilheiros do ABC

02 gols: Wallyson
01 gol: Ânderson (contra)
01 gol: Clênio
01 gol: Dejair
01 gol: Fábio Saci
01 gol: Ivan
01 gol: Márcio Hahn
01 gol: Moisés
01 gol: Warley

Artilheiros do Vila Nova

05 gols: Túlio Maravilha
02 gols: Reinaldo
01 gol: Wladimir
01 gol: William
01 gol: Reinaldo Aleluia
01 gol: Paulo Ramos

Resumo de público em Goiânia

Total de público: 31.052
Jogos computados: 04
Média por jogo: 7.763

sexta-feira, 17 de junho de 2011

O ABC já venceu o Vila Nova em Goiânia

Moisés fez o gol da Vitória. Infelizemente, ele faleceu em 2010


Alem de está empatado rigorosamente, o confronto diante do time goiano mostra uma vitória do ABC no Estádio Serra Dourada, palco do jogo de amanhã, válido pela 6ª rodada da Série B. A vitória diante dos goianos aconteceu em 2000. Confira a ficha dessa partida:

07/10/2000 – Vila Nova 0x1 ABC (Série B)

Gol: Moisés (41/2º)
Árbitro: Etevaldo Batista de Araújo (DF)
Renda: não divulgada
Público: não divulgado
Local: Estádio Serra Dourada (Goiânia-GO)

Vila Nova: Fernando; Gustavo, Saymon, Vladimir e Luciano Matos (Careca); Batata, Cléber, Wando e Cláudio (Adriano); Valdeir (Wesley Brasília) e Ânderson. Técnico: Roberto Oliveira.

ABC: Sadi; Moisés, Bartô, Michel e Wellington; Erivan (Marquinhos Mossoró), Maurício (André Sampaio), Marco Antônio e Lino; Batistinha (Adãozinho) e Ivan. Técnico: Osmar Guarnelli.

OBS: Cléber do Vila Nova foi expulso.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Os números do ABC na Série B; cinco rodadas

Leandrão voltou contra o Vitória marcando. Foto: Site do ABC


Depois de realizar cinco partidas, apresentamos os principais números da campanha do ABC na Série B deste ano. O mais querido tem 60% de aproveitamento na competição. Se mantiver este aproveitamento até o final do campeonato, o acesso à Série A está garantido. O Alvinegro tem bons números, apesar dos empates “indesejados” a média de pontos é muito boa. Confira os números:

Sobre jogos e vitórias

Pontos ganhos: 09
Jogos: 05
Vitórias: 02
Empates: 03
Derrotas: 00
Aproveitamento: 60%
Gols pró: 08
Gols contra: 05
Saldo: 03

Tipo dos gols que marcou

De dentro da área: 07
De fora da área: 01
De pênalti: 01
De cabeça: 02
De pé: 06

Tipo dos gols que levou

De dentro da área: 05
De fora da área: 00
De pênalti: 00
De cabeça: 01
De pé: 04

Artilheiros

04 gols: Elinar Bombinha
02 gols: Cascata
01 gol: Nêgo
01 gol: Leandrão

Sobre renda e público

Total de renda bruta: R$ 112.751,00
Jogos como mandante: 02
Média por jogo: R$ 56.375,00

Total de renda líquida: R$ 56.886,27
Jogos como mandante: 02
Média por jogo: R$ 28.443,13

Total de público: 10.035
Jogos como mandante: 02
Média por jogo: 5.017

Os jogadores que atuaram

05 jogos: Welligton
05 jogos: Renatinho Potiguar
05 jogos: Marcus Vinícius
05 jogos: Malaquias
05 jogos: Elionar Bombinha
05 jogos: Cascata
05 jogos: Basílio
05 jogos: Alessandro Lopes
04 jogos: Tiago Garça
04 jogos: Pio
04 jogos: Bileu
03 jogos: Rafael Martins
03 jogos: Makelelê
03 jogos: Diego Barboza
02 jogos: Ricardo Oliveira
02 jogos: Nêgo
02 jogos: Chimba
01 jogo: Leonardo
01 jogo: Leandrão

Total de jogadores: 19

Disciplina

Cartões amarelos

03 cartões: Pio
02 cartões: Renatinho Potiguar
02 cartões: Bileu
02 cartões: Basílio
02 cartões: Alessandro Lopes
01 cartão: Welligton
01 cartão: Tiago Garça
01 cartão: Ricardo Oliveira
01 cartão: Rafael Martins
01 cartão: Makelelê
01 cartão: Leonardo
01 cartão: Diego Barboza
01 cartão: Cascata

Resumo

Total de cartões: 19
Jogos disputados: 05
Média por jogo: 3,80

OBS: O ABC ainda não teve jogador expulso.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Os Principais Números da Série B 2011


Depois da quarta rodada da Série B, apresentamos um pequeno resumo dos números da competição. Destaque para o fiasco dos times de São Paulo no quesito renda e público. Ocupam as últimas posições. Confira:

Resumo de jogos e gols

Total de jogos: 40
Total de gols: 102
Média por jogo: 2,55

Vitórias dos mandantes: 19
Vitórias dos visitantes: 07
Empates: 14

Principais artilheiros

04 gols: Elionar Bombinha (ABC)
04 gols: Ricardo de Jesus (Ponte Preta)
03 gols: Somália (Duque de Caxias)
03 gols: Guto (Goiás)
03 gols: Ribinha (Icasa)
03 gols: Uendel (Ponte Preta)

Renda e público

Total de renda: R$ 1.797.615,00
Jogos computados: 40
Média por jogo: R$ 44.940,00

Maiores rendas

R$ 203.930,00 – Sport 1x0 Icasa
R$ 177.285,00 – Sport 1x0 Barueri
R$ 104.110,00 – Paraná 1x1 Portuguesa
R$ 80.722,50 – Vitória 0x1 Guarani
R$ 71.350,50 – ABC 1x1 Salgueiro

Menores rendas

R$ 840,00 – Americana 1x1 Duque de Caxias
R$ 1.980,00 – São Caetano 1x1 Ponte Preta
R$ 2.535,00 – São Caetano 0x2 Ituiutaba
R$ 4.520,00 – Bragantino 1x2 São Caetano
R$ 4.970,00 – Bragantino 1x1 ABC

Total de público: 201.113
Jogos computados: 40
Média por jogo: 5.028

Maiores públicos

18.583 pagantes – Sport 1x0 Icasa
18.287 pagantes – Goiás 4x1 ASA
17.063 pagantes – Sport 1x0 Barueri
13.425 pagantes – Barueri 1x1 Portuguesa
13.105 pagantes – Barueri 3x2 Bragantino

Menores públicos

54 pagantes – Americana 1x1 Duque de Caxias
314 pagantes – São Caetano 1x1 Ponte Preta
370 pagantes – São Caetano 0x2 Ituiutaba
469 pagantes – Duque de Caxias 2x3 Vitória
559 pagantes – Bragantino 1x1 ABC

Os públicos de cada clube na Série B 2011

Depois de quatro rodadas, apresentamos de forma exclusiva um balanço de público pagante de cada clube no Campeonato Brasileiro da Série B. O Sport vai liderando com mais de 35 mil nos dois jogos. Barueri e Salgueiro, dois clubes sem tradição vem surpreendendo, ficando a frente de clubes tradicionais. O ABC é apenas o nono colocado nesse quesito. Três clubes do rico futebol paulista estão nas últimas posições. Veja o quadro abaixo:


Clique na imagem para aumentar

segunda-feira, 13 de junho de 2011

ABC x Vitória tem confronto equilibrado


Na história dos confrontos entre ABC x Vitória houve oito partidas válidas por competições. O primeiro jogo entre ambos aconteceu em 1972 por ocasião do Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão. Houve empate de 0 a 0. Os confrontos foram válidos pela Série A, um jogo, Copa do Brasil, dois, Campeonato do Nordeste, quatro e um pelo Torneio José América, espécie de Campeonato do Nordeste. Cada clube venceu duas partidas e quatro terminaram empatadas. Confira mais detalhes:

19/11/1972 – ABC 0x0 Vitória (Série A)

Gols: não houve
Árbitro: Claiton Beltrão (PE)
Renda: Cr$ 36.105,00
Público: 10.397
Local: Estádio Machadão (Natal-RN)

30/11/1976 – Vitória 1x1 ABC (Torneio José Américo)

Gols: Zé Júlio para o Vitória; Joel para o ABC
Árbitro: Gilson Cordeiro (PE)
Renda: Cr$ 34.188,00
Público: 2.143
Local: Estádio Castelão (Natal)

29/03/2000 – ABC 1x0 Vitória (Copa do Brasil)

Gols: Leonardo Carioca
Árbitro: Fernando Rogério de Oliveira Assunção (AL)
Renda: R$ não disponível
Público: não disponível
Local: Estádio Machadão (Natal-RN)

12/04/2000 – Vitória 1x2 ABC (Copa do Brasil)

Gols: Manoel para o Vitória; Leonardo Carioca (2) para o ABC
Árbitro: Léo Feldman (RJ)
Renda: R$ não disponível
Público: 2.394
Local: Estádio Barradão (Salvador-BA)

31/03/2001 – Vitória 2x0 ABC (Campeonato do Nordeste)

Gols: Flávio (2)
Árbitro: Antônio Hora Filho (SE)
Renda: R$ 1.810,00
Público: 181
Local: Estádio Barradão (Salvador)

31/03/2002 – ABC 1x1 Vitória (Campeonato do Nordeste)

Gols: Moreno para o ABC; Ramalho para o Vitória
Árbitro: Marcílio de Lima Braz (PB)
Renda: R$ 7.083,00
Público: 845
Local: Estádio Machadão (Natal)

12/06/2010 – Vitória 2x2 ABC (Campeonato do Nordeste)

Gols: Renato e Schwenck para o Vitória; Zulu (2) para o ABC
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Renda: R$ 17.505,00
Público: 1.678
Estádio: Estádio Barradão (Salvador)

01/12/2010 – ABC 1x2 Vitória (Campeonato do Nordeste)

João Paulo para o ABC; Kleiton Domingues e Marconi para o Vitória
Árbitro: Charles Hebert Cavalcante Ferreira (AL)
Renda: R$ 158.540,00
Público pagante: 11.619
Local: Estádio Frasqueirão (Natal)

Resumo de jogos

Total de jogos: 08
Vitórias do ABC: 02
Vitórias do Vitória: 02
Empates: 04
Gols do ABC: 08
Gols do Vitória: 09
Saldo pro ABC: -01

Artilheiros do ABC

03 gols: Leonardo Carioca
02 gols: Zulu
01 gol: Joel
01 gol: Moreno
01 gol: João Paulo

Artilheiros do Vitória

02 gols: Flávio
01 gol: Zé Júlio
01 gol: Schwenck
01 gol: Renato
01 gol: Ramalho
01 gol: Marconi
01 gol: Manoel
01 gol: Kleiton Domingues

Público em Salvador

Total: 6.396
Jogos: 04
Média: 1.599

domingo, 12 de junho de 2011

Grupo do Alecrim para a Série D 2011

Paulinho já atuou no Sport Recife. É jogador de confiança de Berg


Nesta segunda-feira, serão apresentados os jogadores que irão fazer parte do Alecrim para a disputa da Série D. O Verdão já acertou com 20 atletas. Os trabalhos devem começar na próxima terça-feira sob o comando do técnico Carlos Gutemberg. Veja a relação dos jogadores certos:

Goleiros

Dida (Sousa)
Dida (Alecrim)
Bira (base do América-MG)

Laterais

Éwerton Silva (Potiguar de Mossoró)
Eduardo Igor (Alecrim)
Delano (Santa Cruz-RN)
Élton (Treze)

Zagueiros

Roquete (Corítians de Caicó)
Cleiton (Alecrim)
Cléber (Sousa)
Zig Zig (Palmeira)

Volantes

Nino (Palmeira)
Paulinho (ABC)
Ramon (Alecrim)

Meias

Leonardo Sá (ASSU)
Diego (Palmeira)
Fabinho (Alecrim)
Marcelo (está sendo avaliado)

Atacantes

Lanzinho (Centenário)
Zé Maria (Potiguar)

Comissão Técnica

Técnico: Carlos Gutemberg
Preparador físico: Romerito Sóstenes
Médico: Múcio Luzia
Massagista: Amaral
Roupeiro: Giordano
Supervisor: Inaldo Costa
Gerente de futebol: Marcos Segundo


Os primeiros do Futebol Potiguar


Não que o Futebol Potiguar esteja resumido a ABC e América, mas listo fato que entraram para a História desses dois clubes. Ao longo das muitas competições que jogaram colecionaram feitos. Seguem alguns deles:

ABC

Primeiro time daqui a jogar a Taça Brasil, 1959.

Primeiro a jogar a Série B, 1971.

Primeiro a jogar a Série A, 1972.

Primeiro a ser punido, 1972.

Primeiro a disputar a Taça São Paulo de Juniores, 1999.

E agora, o primeiro a liderar a Série B do campeonato Potiguar.

América

Primeiro time daqui a conquistar uma Seletiva, 1974.

Primeiro a vencer um grande clube fora de casa. Venceu o Vasco em 1975 por 1 a 0.

Primeiro time a conquistar um tetracampeonato no Estádio Castelão/Machadão, 1982.

Primeiro a conquistar um acesso. Da Série C para a B, em 1990.

Primeiro a subir para a Série A, em 1996.

Primeiro e único a disputar uma competição internacional, a Copa Conmebol em 1998.

Primeiro e único a conquistar dois acessos seguidos. Da Série C para a B, em 2005 e da B para a A, em 2006.

Primeiro e único a fazer a pior campanha da Série A com pontos corridos, em 2007, fez apenas 17 pontos.

Primeiro e único a passar para a Segunda Fase da Copa São Paulo de Juniores, em 2011.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Todos os públicos da Série B 2011


Nos 32 jogos já realizados, a Série B deste ano apresenta média de 5.082 pagantes por jogo. O maior público até agora pertence ao Sport, na partida Sport 1x0 Icasa com 18.583 pagantes no Estádio Ilha do Retiro. Confira os detalhes dos públicos da Série B:

Resumo

Total de público: 162.625
Jogos computados: 32
Média por jogo: 5.082

Todos os públicos, jogo a jogo

18.583 pagantes – Sport 1x0 Icasa
18.287 pagantes – Goiás 4x1 ASA
17.063 pagantes – Sport 1x0 Barueri
13.105 pagantes – Barueri 3x2 Bragantino
8.399 pagantes – Salgueiro 1x1 São Caetano
7.869 pagantes – Vitória 0x1 Guarani
7.468 pagantes – Ponte Preta 5x0 ASA
6.912 pagantes – Vitória 1x0 Vila Nova
6.557 pagantes – Salgueiro 2x0 Duque de Caxias
6.427 pagantes – Criciúma 0x0 Náutico
6.197 pagantes – ABC 1x1 Salgueiro
5.239 pagantes – Criciúma 2x2 Guarani
4.995 pagantes – Paraná 1x1 Portuguesa
4.122 pagantes – Guarani 1x1 Sport
3.838 pagantes – ABC 2x0 Goiás
3.380 pagantes – Ponte Preta 4x1 Icasa
3.239 pagantes – Naútico 1x0 Goiás
3.186 pagantes – Ituiutaba 0x0 Vila Nova
2.782 pagantes – Vila Nova 3x1 Ponte Preta
2.476 pagantes – Icasa 3x1 Vitória
2.243 pagantes – Portuguesa 4x0 Náutico
1.821 pagantes – Portuguesa 2x3 ABC
1.652 pagantes – Goiás 1x0 Barueri
1.480 pagantes – Ituiutaba 1x2 Paraná
1.407 pagantes – ASA 2x1 Americana
1.076 pagantes – Americana 1x1 Paraná
900 pagantes – Duque de Caxias 1x2 Criciúma
625 pagantes – Bragantino 1x2 São Caetano
559 pagantes – Bragantino 1x1 ABC
370 pagantes – São Caetano 0x2 Ituiutaba
314 pagantes – São Caetano 1x1 Ponte Preta
54 pagantes – Americana 1x1 Duque de Caxias

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Os números do ABC na Série B 2011

Goleiro Welligton, o melhor da Série B. Foto: Site do ABC


Depois de realizar quatro jogos, apresentamos os principais números da campanha do ABC na Série B deste ano. O mais querido tem 66% de aproveitamento na competição. Se mantiver este aproveitamento até o final do campeonato, o acesso à Série A está garantido. Confira os números:

Sobre jogos e vitórias

Pontos ganhos: 08
Jogos: 04
Vitórias: 02
Empates: 02
Derrotas: 00
Aproveitamento: 66,67%
Gols pró: 07
Gols contra: 04
Saldo: 03

Tipo dos gols que marcou

De dentro da área: 06
De fora da área: 01
De pênalti: 01
De cabeça: 01
De pé: 06

Tipo dos gols que levou

De dentro da área: 04
De fora da área: 00
De pênalti: 00
De cabeça: 01
De pé: 03

Artilheiros

04 gols: Elinar Bombinha
02 gols: Cascata
01 gol: Nêgo

Sobre renda e público

Total de renda bruta: R$ 112.751,00
Jogos como mandante: 02
Média por jogo: R$ 56.375,00

Total de renda líquida: R$ 56.886,27
Jogos como mandante: 02
Média por jogo: R$ 28.443,13

Total de público: 10.035
Jogos como mandante: 02
Média por jogo: 5.017

Os jogadores que atuaram

04 jogos: Welligton
04 jogos: Renatinho Potiguar
04 jogos: Marcus Vinícius
04 jogos: Malaquias
04 jogos: Elionar Bombinha
04 jogos: Cascata
04 jogos: Bileu
04 jogos: Basílio
04 jogos: Alessandro Lopes
03 jogos: Tiago Garça
03 jogos: Rafael Martins
03 jogos: Pio
03 jogos: Diego Barboza
02 jogos: Nêgo
02 jogos: Makelelê
01 jogo: Ricardo Oliveira
01 jogo: Leonardo
01 jogo: Chimba

Total de jogadores: 18

Disciplina

Cartões amarelos

03 cartões: Pio
02 cartões: Bileu
02 cartões: Basílio
02 cartões: Alessandro Lopes
01 cartão: Welligton
01 cartão: Renatinho Potiguar
01 cartão: Rafael Martins
01 cartão: Makelelê
01 cartão: Leonardo
01 cartão: Diego Barboza
01 cartão: Cascata

Total de cartões: 16

terça-feira, 7 de junho de 2011

Na Copa de 2014, Natal pára para o mal



 MT. Foto: Anastácia Vaz/Novo Jornal

Hoje, tive mais uma contestação que Natal não tem condições de sediar jogos de Copa do Mundo. Como gastar tanto com algo que não tem um retorno garantido? Tem? Mostre a prova, sim, vocês que estão no poder.

Estava na Avenida Prudente de Morais, perto aonde vai, dizem e falam, ser construído o estádio da Copa do Mundo. Estava saindo de um banco, chovendo fininho, mas do banco para o Ponto de ônibus são 20 metros de distância. Cheguei no Ponto todo molhado.

Debaixo daquilo que chamam de parada. Uma desgraça. Não acomoda cinco pessoas. Goteiras para todos os lados. E os carros passando, e molhando a todos. Será que as obras de mobilidade acabarão com isso? Acho que não. Faz 14 anos que moro em Natal e sempre foi assim. Não será a Copa que irá consertar isso.

Pois, esperei 15 minutos até o dito ônibus passar. Ônibus da maior empresa da cidade. Velho e como se estivesse fora dele, a água estava saindo por todos os lados. Incomodando a todos. Será que a Copa vai consertar isso? Também acho que não.

Aquele ônibus deveria está naquela sucata lá de Neópolis, sucata essa que não deveria está ali, na entrada de Natal. Que marmota?

Pois bem, seguindo viagem, passei por Candelária, com destino a Cidade Satélite, onde resido, bairro de classe média alta e eu lá embaixo. Pegamos a Avenida dos Xavantes, a principal do bairro, aja água. Os carros se afogando nos buracos e nas águas. Será que a Copa vai consertar isso? E o IPTU desse bairro a mil!

Gente, políticos, Natal está precisando de investimento na Educação, Saúde, Segurança e modernidade. Não de Copa do Mundo.

Outro detalhe: ouvi uma entrevista no programa A Hora do Brasil de um especialista falando sobre as casas de câmbio no Brasil, no ano da Copa. O cara falou que o Brasil não está preparado nesse quesito. Então, Natal deve está muito mal, por que aqui só tem liso e quebrado de todos os lados. Com certeza as poucas casas que aqui existem não suportarão a procura.

O que mais me deixa revoltado é o fato de saber que em outras épocas o povo daqui lutou bravamente para expulsar invasores.

Agora, não. Damos de mão beijada, nossas terras, nosso ar, nosso espaço, nossa segurança, nosso calor, nosso dinheiro... E o que é pior “nossas” meninas. 

Em 2014, Natal será um puteiro só!

Fico imaginando que os políticos envolvidos nessa história de Copa do Mundo estão com a pulga atrás da orelha. Sabe por quê? Estão derrubando os monumentos da cidade pelas beiradas, como quem quer dizer, se não der certo a gente joga a toalha a tempo de não derrubar o Monumento Principal que é o Estádio Machadão.

Perceberam, derrubaram a Creche e agora estão tratando os lados do Machadinho. Por que não derrubaram logo o estádio? Estão com medo, pode ter certeza.

Enquanto isso, o Arquiteto do Castelão/Machadão, Moacir Gomes da Costa, deve está arrependido de ter arquitetado um estádio em Natal. Melhor teria sido em Açu, Mossoró, na sua cidade natal Caicó, ou em outro país. Com certeza, não estava tendo o dissabor de hoje ver a sua obra virar pó.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

ABC x Goiás pela primeira vez no Frasqueirão


Na história dos confrontos de ABC e Goiás, amanhã será a primeira vez que o Goiás vai jogar no Estádio Frasqueirão. Os dois clubes se enfrentaram três vezes. Ninguém perdeu. As três partidas terminaram empatadas de 1 a 1. Uma pela Série B de 1999 e as outras pela Copa do Brasil de 2000. Veja mais detalhes:

11/09/1999 – ABC 1x1 Goiás

Gols: Róbson para o ABC; Dill para o Goiás
Local: Estádio Machadão (Natal-RN)

27/04/2000 – ABC 1x1 Goiás

Gols: Leonardo para o ABC; Marquinhos para o Goiás
Local: Estádio Machadão (Natal-RN)

03/05/2000 – Goiás 1x1 ABC

Gols: Fernandão para o Goiás; Reinaldo Aleluia para o ABC
Local: Estádio Serrinha (Goiânia-GO)

OBS: Nos tiros livres, o ABC venceu por 4x3.

Resumo

Total de jogos: 03
Vitórias do ABC: 00
Vitórias do Goiás: 00
Empates: 03
Gols do ABC: 03
Gols do Goiás: 03
Saldo pro ABC: 00

Artilheiros do ABC

01 gol: Róbson
01 gol: Leonardo
01 gol: Reinaldo Aleluia

Artilheiros do Goiás

01 gol: Dill
01 gol: Marquinhos
01 gol: Fernandão

domingo, 5 de junho de 2011

A história do atacante Zé Ivaldo

Em 2000, Zé Ivaldo jogou no CAP. Foto: Frankie Marcone
A edição de hoje de O Poti traz uma matéria especial com o ex-atacante Zé Ivaldo. A matéria é do repórter Luan Xavier e colaboração deste blogueiro. Confira:

"Aí Mingo veio, pela linha de fundo, ali pela esquerda, aí cruzou. Quando ele cruzou, eu peguei de primeira, de esquerda (silêncio). O campo estava lotado naquele dia, viu?!". O relato emocionado é de José Ivaldo de Medeiros, de 41 anos, comerciante. Exatamente há 15 anos ele era apenas Zé Ivaldo, atacante do time do América de 1996, que conseguiu o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. O fato trata de um momento que está - e assim ficará - guardado na memória dos amantes do futebol potiguar: o gol antológico contra o Náutico, aos 38 do segundo tempo, que garantiu o time rubro na segunda colocação do quadrangular final da Segunda Divisão daquele ano e carimbou o passaporte do América rumo à Série A de 1997. Tranqüilo, de andar acanhado, Zé Ivaldo não passa despercebido aonde vai. O assunto, claro, não poderia ser outro a não ser o gol, digno de placa, na trave à direita das cabines de rádio do estádio Machadão.

Se fosse hoje, o Brasil inteiro poderia ter conferido na hora. Na época, apenas os torcedores do time do Recife, que assistiam ao vivo em sua cidade a partida entre América e Náutico naquele 24 de novembro de 1996, e os pouco mais de 15 mil torcedores que estiveram no estádio puderam ver o único, porém mais que suficiente, gol daquela tarde de domingo. E se o Brasil inteiro tivesse visto na hora, na opinião de Zé Ivaldo, a história poderia ter sido bem diferente. "Se fosse hoje seria mais fácil, a repercussão seria bem maior. Com certeza teria aparecido algum time de maior expressão nacional interessado em me levar", diz. Por aqui, restou a quem vivenciou o que muitos chamam de "pintura" contar aos que perderam o inesquecível gol. E histórias não faltam. Exageros, tampouco. Mas nenhuma das versões é mais inebriante que a narração de Hélio Câmara, propagada pelas ondas do rádio e eternizada na memória e no acervo pessoal de muitos torcedores.

Aquele time de Moura, Biro Biro, Mingo, Gito, Cícero Ramalho e companhia ainda hoje está na memória de Zé Ivaldo. Assim como o gol inesquecível. "Com certeza foi o mais bonito da minha carreira", comenta. O jeito simples não esconde no rosto de Zé Ivaldo a saudade de um tempo que não volta mais. Dizendo que o esporte mais praticado no país hoje em dia é bem diferente de alguns anos atrás, o "homem do gol mais bonito do Machadão", como alguns dizem, fala sobre um tempo onde o jogador buscava mais a vitória que o dinheiro. "Naquela época era muito bom. Aquele grupo do América era bem unido, bem amigo, todo mundo querendo vencer no futebol e na vida", lembra.

O gol daquele América e Náutico foi mais um. Claro, o mais bonito de todos, segundo o próprio autor, porém somam-se a ele outros 107, um bom número se considerarmos uma carreira quase toda feita na região Nordeste em 12 anos. O time onde mais balançou as redes foi justamente o primeiro, a Desportiva do Vale, de Ipanguaçu-RN, quando ele marcou 29 gols. Natural de Itajá, Zé Ivaldo passou de 1992 a 1995 no clube da cidade próxima até ter sua primeira oportunidade em um clube da capital, o ABC, ainda no ano de 1995. No ano seguinte, foi a vez do Alecrim e, logo em seguida, o América.

Dessa passagem muita história já foi contada. Acesso à primeira divisão, gol histórico, reconhecimento. A passagem de Zé Ivaldo pelo América, porém, nem se compara ao tamanho da fama de seu gol. Em 1997, o atacante foi autor do primeiro gol do Campeonato Estadual, que foi vencido pelo rival ABC. Ainda naquele ano, o atacante deixou o clube. Ele conta que o contrato de empréstimo junto ao time alvirrubro venceu e o empresário dono de seu passe, um político da cidade de Ipanguaçu, não quis vendê-lo ao América.

O destino então foi o Potiguar de Mossoró. A partir daí, um verdadeiro tour pelo Nordeste: Areia Branca-RN, Fluminense-BA e Treze-PB em 1998; Baraúnas em 1999; CAP-RN e Central-PE em 2000; Potiguar de Mossoró em 2001; Potiguar de Parnamirim em 2002; e Atlético Potengi entre 2003 e 2004, ano de encerramento de sua carreira. No meio desse período consta também, em 2002, uma passagem pelo Atlético-SC. Foi lá que Zé Ivaldo marcou 15 de seus mais de 100 gols.

Clubes que defendeu

1992 a 1995 - Desportiva de Ipanguaçu (RN)
1995 - ABC
1996 - Alecrim
1996 a 1997 - América (RN)
1997 - Potiguar de Mossoró
1998 - Areia Branca (RN), Fluminense (BA) e Treze (PB)
1999 - Baraúnas (RN)
2000 - CAP (RN) e Central (PE)
2001 - Potiguar de Mossoró
2002 - Potiguar de Parnamirim e Atlético (SC)
2003 e 2004 - Atlético Potengi (RN)

Gols em jogos oficiais

29 - Desportiva
15 - Atlético-SC
14 - Alecrim
11 - América
10 - Baraúnas
10 - CAP
08 - Areia Branca
04 --Treze
03 - Central
02 - Potiguar de Mossoró
01 - ABC
01 - Fluminense-BA

Resumo

Total: 108
Média por ano: 09



Clique aqui e veja o gol histórico de Zé Ivaldo.

sábado, 4 de junho de 2011

Grandes vitórias do ABC fora de casa

Alessandro Lopes jogou muito. Foto: Site da Lusa


Ontem o ABC venceu a Portuguesa por 3 a 2, no Estádio Canindé em São Paulo. Isso todos nós sabemos. Agora, essa vitória entra para a história do Alvinegro como grandes façanhas que ao longo de sua existência tem acumulado. Selecionei as 10 vitórias mais divulgadas fora de casa.

Sem dúvidas, a mais comentada, foi a virada em cima do América Mineiro em 1980. O Mais Querido perdia por 3 a 0 com 35 minutos de partida. Depois, só deu o ABC com Zezinho Pelé e tudo.

Dezoito anos depois veio a que considero mais expressiva. No Maracanã, vitória em cima do Fluminense do Rio de Janeiro. Veja mais:

1980 – América (MG) 3x4 ABC (Série B)
1985 – Paysandu (PA) 1x2 ABC (Série A)
1998 – Fluminense (RJ) 2x3 ABC (Série B)
2000 – Ceará (CE) 1x2 ABC (Copa do Nordeste)
2000 – Vitória (BA) 1x2 ABC (Copa do Brasil)
2002 – Sport (PE) 1x2 ABC (Copa do Nordeste)
2008 – Ponte Preta (SP) 1x2 ABC (Série B)
2008 – São Caetano (SP) 0x4 ABC (Série B)
2009 – Paraná (PR) 1x2 ABC (Série B)
2011 – Portuguesa (SP) 2x3 ABC (Série B)

quinta-feira, 2 de junho de 2011

A Portuguesa é freguesa do ABC

Bruno Barros marcou o gol da vitória em 2009. Foto: Tribuna do Norte


Na história dos confrontos diante da Lusa do Canindé, o ABC venceu três partidas e perdeu apenas uma. O primeiro duelo foi em 1972, pelo Nacional daquele ano, no Castelão recém inaugurado, o Alvinegro venceu por 2 a 1. Voltaram a se enfrentar em 1977. E mais recente, em 2009, duas partidas, no Frasqueirão vitória do Mais Querido por 1 a 0. No jogo de volta, no Canindé, a Lusa venceu por 2 a 1. Confira os detalhes de cada jogo:

29/10/1972 – ABC 2x1 Portuguesa (Série A)

Gols: Elias e Libânio para o ABC; Dicá para a Portuguesa
Árbitro: José Mário Vinhas (RJ)
Renda: Cr$ 44.107,00
Público: 12.327
Local: Estádio Castelão (Natal)

20/10/1977 - ABC 1x0 Portuguesa (Série A)

Gols: Noé Soares
Árbitro: Sebastião Rufino Ribeiro (PE)
Renda: Cr$ 303.510,00
Público: 15.325
Local: Estádio Castelão (Natal)

31/07/2009 - ABC 1x0 Portuguesa (Série B)

Gol: Bruno Barros
Árbitro: Charles Hebert Cavalcante Ferreira (AL)
Renda: R$ 88.208,00
Público: 7.804
Local: Estádio Frasqueirão (Natal)

03/11/2009 – Portuguesa 2x1 ABC (Série B)

Gols: Heverton e Bruno Rodrigo para a Portuguesa; Zé Eduardo para o ABC
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (RJ)
Renda: R$ 49.765,00
Público: 3.427
Local: Estádio Canindé (São Paulo-SP)

Resumo de jogos

Total de jogos: 04
Vitórias do ABC: 03
Vitórias da Portuguesa: 01
Empates: 00
Gols do ABC: 05
Gols da Portuguesa: 03
Saldo pró ABC: 02

Artilheiros do ABC

01 gol: Elias
01 gol: Libânio
01 gol: Noé Soares
01 gol: Bruno Barros
01 gol: Zé Eduardo

Artilheiro da Portuguesa

01 gol: Dicá
01 gol: Heverton
01 gol: Bruno Rodrigo

Resumo de público

Total: 38.883
Jogos: 04
Média: 9.721

Público em São Paulo

Total: 3.427
Jogos: 01
Média: 3.427